Aos Mestres com Carinho, uma homenagem aos professores

Aos Mestres com Carinho, uma homenagem aos professores

“Era uma vez”: expressão temporal que indica uma ação iniciada no passado e ainda em processo. E esta história parece ter um fim. Um dia será chegada a hora de dar adeus aos pais, exemplos, inspirações e amigos em tempo integral. Continue lendo

Escrito por Felipe Aguiar

Estudante de jornalismo curioso e apaixonado por história. Cinéfilo de carteirinha que ama o universo da sétima arte e deseja sempre estar ainda mais imerso nesse mundo.

CRÔNICAS PRO BOL$O | O que você faria com dinheiro a mais na sua conta?

Clay acordou às 07 da manhã muito assustado. Recém chegado ao Brasil, sentiu o fuso horário e as desgastantes horas de voo. Ainda assim, decidiu aproveitar as primeiras horas do dia para fazer compras para o restaurante onde trabalhava. Continue lendo

Escrito por Diego Maique Guimarães

Diego Maique Guimarães é formado em Administração, possui MBA em gestão empresarial pela FGV e atua há mais de 12 anos no mercado financeiro. Trabalhou nas maiores instituições financeiras do país e hoje é sócio da Coimbra Investimentos, escritório credenciado à XP Investimentos. Diego é especialista em investimentos e possui certificação na Ancord e registro na CVM (Comissão de Valores Mobiliários).

Pitanga medicinal para as borboletas no estômago

CRÔNICAS | Pitanga medicinal para as borboletas no estômago

Um dia desses acordei de madrugada diversas vezes. Comecei pensando que eram sonhos – melhor dizendo, pesadelos – e tentei lembrar-me deles para ver se os controlava da próxima vez. Tentava e não conseguia, eram imagens turvas, borrões. Continue lendo

Escrito por Felipe Aguiar

Estudante de jornalismo curioso e apaixonado por história. Cinéfilo de carteirinha que ama o universo da sétima arte e deseja sempre estar ainda mais imerso nesse mundo.

O tempo certo em tempos incertos

O tempo certo em tempos incertos

O tempo é mesmo um senhor tão bonito. Seu rosto é enrugado, a pele escancara as marcas do desgaste e os seus lábios são finos e arranhados. A beleza do tempo, porém, não pode ser descrita pela aparência. Afinal, não existe forma unânime de enxergá-lo. Continue lendo

Escrito por Vinicius Andrade

Jornalista amante da escrita. Criador do Crônicas do Agora. Interessado em boas conversas, textos e histórias.

A sociedade dos aplicativos e o tempo que escorre pela palma da mão

A sociedade dos aplicativos e o tempo que escorre pela palma da mão

Para alguns, o dia só rende quando se acorda cedo. Para outros, o dia rende quando avança a noite. Os notívagos, como eu, conseguem se escutar no silêncio da madrugada. É uma pausa das notificações que ficam pipocando a todo instante no celular. Continue lendo

Escrito por Vinicius Andrade

Jornalista amante da escrita. Criador do Crônicas do Agora. Interessado em boas conversas, textos e histórias.

Quando a frustração te abraça apertado...

Quando a frustração te abraça apertado…

Planos são projetos feitos para o futuro. Próximo ou distante. Existem planos do que será do dia seguinte ou das obrigações que virão logo depois do almoço. Planeja-se, mesmo que apenas mentalmente, o tempo dedicado ao ócio e o tempo aos inúmeros ofícios de um dia corrido. Continue lendo

Escrito por Vinicius Andrade

Jornalista amante da escrita. Criador do Crônicas do Agora. Interessado em boas conversas, textos e histórias.

Eu sou o amor da sua vida

Eu sou o amor da sua vida

Já que eu não acho o amor da minha vida, fiz que fiz até que chegasse pra mim a informação: eu sou amor da vida de quem? Eu vou até lá, deixa comigo, tomo a iniciativa e resolvo esse problema. Assim a gente pula o itinerário corpóreo das almas que nunca são o amor da vida de quem as abraça. Pois bem: descobri. Continue lendo

Escrito por Gi Marques

Sou a poesia da contradição com incontinência verbal contando histórias que vivi e inventei (qual é qual já não posso te contar)

Sobre você: era pra ser um poema, mas virou turbilhão

Sobre você: era pra ser um poema, mas virou turbilhão

Era pra você ser uma crônica escrita num domingo de manhã, com cheiro de café recém-coado e gosto de quem dormiu tudo o que precisava. Era pra você ser um poema escrito na sexta a noite depois do expediente, com o peso das costas e o suor do dia que insiste em nunca acabar. Continue lendo

Escrito por Gi Marques

Sou a poesia da contradição com incontinência verbal contando histórias que vivi e inventei (qual é qual já não posso te contar)

Zé, essa é daquelas mulheres que você só encontra uma vez na vida

Ô, Zé, tive tantas mulheres. Conheci algumas que tinham tudo o que eu sempre quis, sabe? Passei, também, por aquelas que fazem cê esquecer todas as outras. Ah, como elas eram boas. Mas tem aquela, Zé, que foge de tudo aquilo que cê já viu. Continue lendo

Amor infinito e além

Sobre o amor e o tempo

Somos limitados e criamos uma necessidade de tudo limitar. Limitamos o tempo. Tudo é tempo. Tempo é tudo. Vidas que poderiam ser escritas por ponteiros de relógios. Quanto tempo no trabalho? Quanto tempo no trânsito? Quanto tempo no celular? Continue lendo

Escrito por Vinicius Andrade

Jornalista amante da escrita. Criador do Crônicas do Agora. Interessado em boas conversas, textos e histórias.

Hoje eu não vou falar de amor

Eu não vou falar de amor. Falar de amor é uma merda. Falar de amor sempre rasga o peito e divide ao meio o sentimento bom que às vezes nem chega a ser. Hoje eu vou falar só da parte boa. Continue lendo

Escrito por Gi Marques

Sou a poesia da contradição com incontinência verbal contando histórias que vivi e inventei (qual é qual já não posso te contar)

Por que você não deveria acordar cedo pra ir trabalhar

Você não deveria acordar cedo pra ir trabalhar

Você já parou pra pensar como é doentio o fato da gente acordar cedo pra trabalhar? A gente só acorda cedo pra isso. A gente podia fazer tanta coisa mais interessante. Acordar cedo pra andar. Pra tomar café. Continue lendo

Escrito por Gi Marques

Sou a poesia da contradição com incontinência verbal contando histórias que vivi e inventei (qual é qual já não posso te contar)

O sorriso dela é o remédio mais eficiente contra o meu esquecimento

Tenho a memória curta. Me esqueço de compromissos, de promessas, de avisos e sobreavisos. Não me lembro o que comi no almoço de ontem e nem do texto que escrevi semana passada. Guardo rostos, esqueço nomes. Continue lendo

Escrito por Vinicius Andrade

Jornalista amante da escrita. Criador do Crônicas do Agora. Interessado em boas conversas, textos e histórias.

O que faz você feliz?

O que faz você feliz?

Você já parou para enxergar a felicidade? Ela está nas coisas pequenas! No bom dia da pessoa amada, no cheirinho de café. Tá naquele chocolate na TPM – ainda mais se veio, inesperadamente, de alguém especial. Tá no andar de mãos dadas, no olhar no olho, no toque da pele, no abraço apertado e no cheiro da pessoa amada. Continue lendo