HEBE, O Musical | Um espetáculo sobre os amores da Rainha da TV Brasileira

HEBE, O Musical | Um espetáculo sobre os amores da Rainha da TV Brasileira

Um dos maiores nomes da história da televisão brasileira, Hebe Camargo teve uma trajetória artística de muita luz, brilho, sucesso e glamour. Ícone que encantou plateias com sua autenticidade e talento, características que se revelavam nos palcos das mais diversas formas. Em 2017, completam-se cinco anos de sua morte. E poucas homenagens poderiam ser tão eficientes pra retratar a artista quanto um Musical. Um grandioso espetáculo de teatro, música e dança dirigido por Miguel Falabella baseado no texto de Artur Xexéo. Hebe, O Musical. 

“A Hebe teve muitas vidas e nenhuma delas é capaz de colocar num palco. Se eu pudesse resumir, diria que esse é um Musical de Hebe e seus amores. Quando você vai contar uma vida em duas horas e meia, muita coisa vai ficar de fora. Então esse é sobre a Hebe e seus amores”, explica Xexéo.

Com 21 atores em cena, orquestra composta por 09 músicos e mais de 30 técnicos envolvidos, a própria Hebe recebe o público que vai ao Teatro Procópio Ferreira e o convida a conhecer a sua história. A proposta é que o público acompanhe a grade de uma programação de TV típica dos anos 60. Nela, a garota-propaganda (Giovana Zotti) se atrapalha com os comerciais ao vivo e Leonor (Brenda Nadler), uma fã de Hebe Camargo, responde sobre a vida de seu ídolo ao peculiar apresentador de um programa de perguntas e respostas, Belo Garrido (Daniel Caldini). É através do conhecimento desta fã que a plateia acompanha o caminho da artista, que será interpretada por Carol Costa na juventude, e Débora Reis na vida adulta.

Logo na abertura de Hebe, O Musical, o público já percebe o show que virá pela frente. O número inicial exibe o palco e os atores em preto e branco, como se o espectador entrasse numa máquina do tempo, num efeito de iluminação espetacular de Guilherme Herrero; figurino de Ligia Rocha e Marco Pacheco; e visagismo de Anderson Bueno. As cores ficam apenas em Hebe, trajada num deslumbrante vestido vermelho.

“Não é um documentário, é um delírio musical. Na minha cabeça é isso. Eu não faço documentário, eu faço espetáculo. Quero encantar a plateia como a Hebe nos encantou a vida inteira”, disse o diretor Miguel Falabella.

Assista ao vídeo publicado pelo “Cena Musical”.

_

OS DETALHES DA TRAMA

A trama explora a relação de Hebe com os pais Fêgo Camargo (Carlos Leça) e Ester Camargo (Clarty Galvão), sua participação em programas de calouros e sua experiência de cantar no rádio formando conjuntos vocais com as primas Maria (Keka Quarterone) e Helena (Mari Saraiva), assim como com a irmã Stela (Fefa Moreira) também farão parte do enredo. As muitas amigas de Hebe são representadas por duas figuras bastante conhecidas do público: a também cantora Lolita Rodrigues (Renata Ricci), que Hebe conheceu ainda adolescente e de quem foi próxima a vida inteira, e Nair Bello (Renata Brás), com quem desfrutava noites de carteado e francas conversas regadas a gargalhadas. Ao lado de Lolita, vemos Hebe como cantora de boate num hotel do centro de São Paulo e sua participação na inauguração da primeira estação brasileira de TV.

A peça mostra o namoro de Hebe com o boxeador negro americano Joe Louis (Renato Caetano) e sua relação complicada, escondida do grande público, com o empresário Luís Ramos (Frederico Reuter). Paralelamente, acompanhamos o sucesso que ela alcança como apresentadora da TV Paulista, emissora onde chega a comandar seis programas semanais simultaneamente.

Seguem-se seu primeiro casamento, com o comerciante Décio Capuano (Guilherme Magon), o nascimento de seu único filho, Marcello (Adriano Tunes), e sua contratação pela TV Record, onde apresenta por oito anos o mais popular programa de entrevistas dos anos 60: uma atração que leva seu nome e que, por um bom tempo, foi campeã de audiência nas noites de domingo.

Hebe, O Musical registra também a separação de Décio, a rápida passagem pela TV Tupi, o trauma que a fez parar de cantar, os encontros hilários com Amâncio Mazzaroppi (Adriano Tunes) e Ronald Golias (Fernando Marianno), a carinhosa amizade com o cantor Agnaldo Rayol (Rodrigo Garcia/Frederico Reuter) e a união com o importador Lélio Ravagnani (Dino Fernandez), com quem viveu por 27 anos.

Vemos Hebe tornar-se porta-voz da luta contra a corrupção em Brasília no programa que apresentou no SBT durante 24 anos e onde transformou em tradição o “selinho” que dava em seus convidados preferidos.

No vídeo publicado pelo “Mundo dos Musicais”, algumas entrevistas com elenco e equipe.

HEBE, O MUSICAL

ONDE: Teatro Procópio Ferreira (624 lugares) – Rua Augusta, 2.823 – Jardins

Informações: 3083-4475
Vendas de grupos: (11) 3064-7500
Vendas: www.ingressorapido.com.br e tel.: 4003-1212.
Bilheteria: de quinta a domingo da 14h00 até o inicio do espetáculo.

QUANDO: Quinta e Sexta às 21h | Sábado às 17h e 21h | Domingo às 18h

Duração: 140 minutos (com intervalo de 20 minutos)
Estreia dia 12 de Outubro de 2017 / Temporada 2017: até o dia 17 de Dezembro

QUANTO:

Quinta: R$ 50 (Ingressos Populares) | R$ 130 (setor I) | R$ 160 (setor Premium)
Sexta e domingo: R$ 50 (Ingressos Populares) | R$ 150 (setor I) |R$ 170 (setor Premium)
Sábado: R$ 50 (Ingressos Populares) | R$ 170 (setor I) | R$ 190 (setor Premium)

_

+ VEJA OUTRAS ATRAÇÕES PRA CURTIR EM SP

Escrito por Vinicius Andrade

Jornalista amante da escrita. Criador do Crônicas do Agora. Interessado em boas conversas, textos e histórias.