A primeira vez a gente nunca…

O início. Dia 1.

Levantei da cama, tomei um banho revigorante, estava ansiosa, afinal, não é todo dia que temos uma primeira vez. 

Fiquei nervosa. Será que vão dar um like nesse primeiro texto logo de cara?

Ainda não sei.

Mas fui.

Botei meu melhor pijama. Fiquei na dúvida entre o chinelo amarelo ou o azul vintage descolado descendo a Augusta. Pra não ter erro, fui descalça.

Cheguei na minha sala, a do meu apartamento. Liguei meu notebook, botei um som. Neil Young. Porque Young é “jovem” em inglês e jovem sou eu, você que me lê e todas as pessoas acima de 62 anos que amam curtir a vida adoidado. Jovem, é a minha primeira vez aqui. Mas, que isso, jovem? Vai ficar enrolando?

Vou. Não. Maybe.

Para uma primeira vez, deveria estar cheia de ideias, aquele encontro com o boss viaSkype deveria render muitas revoluções da minha parte. Aquele espírito motivador de quem acha que vai mudar o mundo. E sim, tenho muitos assuntos pra gente conversar, mas não agora.

Todos dizem que a primeira vez a gente nunca esquece.

E não mesmo.

O primeiro porre, o primeiro amor, a primeira balada, a primeira viagem sem os pais, o primeiro beijo, o primeiro emprego, o primeiro assalto. Digo, o primeiro que sofremos. Mas e se a primeira vez que somos assaltados também é a primeira vez que do assaltante? Enfim, coisas da vida. A primeira vez.

Nem tudo a gente gostaria de lembrar, mas alguma coisa dentro da gente nunca deixa esquecer.

A primeira vez que o coração dispara, as pernas bambeiam. As primeiras borboletas no estômago. Sim, é a primeira vez, mas é no plural. A gente acha que tá tendo um ataque cardíaco. Que isso, meu Deus? É só o coração avisando que esse alguém vai mudar muito a nossa vida.

Enfim.

A primeira.

O primeiro.

Mas o que importa (ou não) é que esse é o primeiro texto de muitos.

A primeira coisa que vem à cabeça quando a gente acorda. Ou a última antes de pegar no sono. Pode ser a mesma.

A primeira pessoa com quem você foi ao motel. Ou a última. Pode ser a mesma.

O primeiro beijo que você deu na vida. Ou o último. Esse, com certeza, não foi com a mesma pessoa. Ou foi, em 1% dos casos. Acontece.

Essa é minha primeira vez. 

E eu espero que a primeira de muitas.