Transformers – O Último Cavaleiro | Sem grandes novidades, filme tem 2h30 de MUITA ação!

Quando esteve no Brasil, na semana passada, o diretor Michael Bay deixou bem claro que os seus filmes são feitos para serem assistidos em tela grande. Fato! Sendo fã ou não do trabalho do cineasta, é inegável que as mega explosões e os efeitos especiais são os pontos altos de suas produções – e isso fica muito mais legal visto no cinema. Em Transformers – O Último Cavaleiro, a fórmula dos longas anteriores se repete. E não perca a conta: esse é o filme número cinco da franquia!

O de número quatro, lançado em 2014, termina com Optimus Prime embarcando numa viagem no espaço, em busca de seus criadores no devastado planeta de Cybertron. Seu destino final é mostrado agora nessa nova produção, quando ele de fato encontra o que foi procurar. Mas o líder dos Autobots é surpreendido e não tem a sorte que esperava, conforme relevado nos vários trailers divulgados pela Paramount Pictures. Um deles pode ser visto aqui!

Enquanto isso, os outros Transformers – mesmo os Autobots – continuam convivendo de forma conturbada com as autoridades. O humano que cuida dos robôs alienígenas é o complicado Cade Yeager, personagem de Mark Wahlberg. Antes de entrar no Universo atual, porém, o quinto filme vai ao passado para mostrar a origem das tretas entre as máquinas do espaço e os terráqueos. Aí aparece de tudo! Rei Arthur, o mago Merlín e muitas referências medievais pra explicar o motivo de os Transformers sempre ficarem indo e voltando ao Planeta Terra.

Transformers 5 - O Último Cavaleiro | Sem grandes novidades, filme tem 2h30 de MUITA ação!
Entre uma explosão e outra, o quebra-cabeça vai sendo montado. O personagem responsável por explicar essa ligação entre o passado e o presente é um lorde inglês, interpretado pelo premiado Anthony Hopkinks. Mas nem ele é capaz de salvar as questionáveis soluções de roteiro. Apenas pra citar um exemplo sem ir além dos spoilers já mostrados nos vários trailers divulgados, (MAS ATENÇÃO QUE PODE SER UM SPOILER!) a reconciliação entre Optimus e Bumblebee é digna do “Maaaaaarta” em Batman vs. Superman. (FIM DO SPOILER!)

Além disso, o filme conta com mais um retorno de Megatron, disposto a tornar os Decepticons os novos soberanos do planeta. O Megatron sempre ressurge. NÃO TEM JEITO!

A franquia de Michael Bay perdeu a capacidade de se reinventar, então quem acompanhou os anteriores acaba prevendo o que virá pela frente nas cenas seguintes. É inegável que, como história, esse universo está saturado.

Porém… particularmente, eu gosto de um blockbuster de ação. Eu gosto de Transformers. E as explosões infinitas do Michael Bay não me incomodam. Nesse, a ação não para por um minuto! São carros turbinados, mísseis, naves, efeitos, criaturas alienígenas, bombas e câmeras girando que não tem fim. Desafio: tente perceber uma câmera estática por mais de 60 segundos – vai ser complicado.

Se você curte filmes com essa pegada, serão 2h30 de diversão. Se você nunca gostou ou não aguenta mais ver o Optimus dando lição de moral na galera e o mundo entrando em colapso, serão 2h30 bem difíceis…

Nos Estados Unidos, Transformers – O Último Cavaleiro não conquistou a crítica e nem o público, visto que os resultados de bilheteria foram bem fracos. A aposta pra que não dê prejuízo são os resultados dos públicos da América Latina e da Ásia.

 

Transformers – O Último Cavaleiro

TRAILER 

SINOPSE

Os humanos estão em guerra com os Transformers, que precisam se esconder na medida do possível. Cade Yeager (Mark Wahlberg) é um de seus protetores, liderando um núcleo de resistência situado em um ferro-velho. É lá que conhece Izabella (Isabela Moner), uma garota de 15 anos que luta para proteger um pequeno robô defeituoso. Paralelamente, Optimus Prime viaja pelo universo rumo a Cybertron, seu planeta-natal, de forma a entender o porquê dele ter sido destruído. Só que, na Terra, Megatron se prepara para um novo retorno, mais uma vez disposto a tornar os Decepticons os novos soberanos do planeta.

+ TRANSFORMERS: IMAGENS MOSTRAM AUTOBOTS EM GUERRAS ANTIGAS

Escrito por Vinicius Andrade

Jornalista amante da escrita. Criador do Crônicas do Agora. Interessado em boas conversas, textos e histórias.